12ª Conferencia Latino-americana de Software Livre
Data e Local do Evento
14 a 16 de outubro de 2015 - Parque Tecnológico Itaipu - Foz do Iguaçu | Paraná | Brasil

Desafios da segurança digital com a “Internet das Coisas” são apresentados na Latinoware

  • latinoware_team

A Internet das Coisas (IoT), que consiste em conectar objetos físicos à internet, gerando facilidades para o dia a dia, vem apresentando um rápido crescimento. Até 2020, a expectativa é de que cerca de 25 bilhões de objetos estejam conectados à rede. No entanto, os mecanismo de proteção nesse mundo digital não acompanham, com a mesma velocidade, a evolução das novas tecnologias, o que representa uma ameaça à segurança das informações.

Na palestra “Desafios da segurança da informação em um mundo hiperconectado”, o professor, consultor e pesquisador nas áreas de Segurança Digital e Computação Forense, Gilberto Sudré, falou sobre as vulnerabilidades da rede e de todos os dispositivos conectados a ela. “Cada IoT contém, em média, 25 vulnerabilidades. Estamos cercados por equipamentos que ‘pensam’ e ‘agem’, e isso representa um risco à nossa privacidade e, inclusive, à nossa vida”, destacou Sudré.

Segundo o palestrante, para minimizar os riscos é preciso rever e integrar as políticas de segurança. Os softwares embarcados devem seguir critérios rígidos de segurança durante todo o seu desenvolvimento. Já as empresas fabricantes de objetos inteligentes devem ser cobradas quanto a qualidade dos produtos comercializados. “Precisamos estabelecer um nível elevado de controle e proteção, pois as ameaças vão continuar a evoluir. Não podemos ter uma segurança reativa”, afirmou.

A necessidade de conscientizar a população sobre o uso seguro da internet também foi ressaltada por Sudré. Segundo ele, inúmeras técnicas de engenharia social são utilizadas para obter dados privilegiados dos usuários. Além disso, as informações postadas em redes sociais têm facilitado os ataques. “É preciso educar as pessoas sobre o uso consciente e seguro das tecnologias”, afirmou.

Sudré deu algumas dicas de como se proteger: não usar softwares piratas, pois eles são uma grande janela para vírus e ataques; ter senhas diferentes para cada aplicativo e modificá-las periodicamente; fazer backup de arquivos sempre que possível; e evitar computadores e redes públicas.

Ter um bom anti-vírus também foi umas das recomendações, porém o palestrante ressaltou que eles não garantem 100% de proteção. “O bom senso na hora de instalar um programa, acessar um site, baixar um arquivo é fundamental. O mesmo vale para as informações postadas nas redes sociais”, disse.

Os comentários estão desativados.

Apoio

logo_ifpr_foz2Protejaseusfilhosnic.cgiCoaltiudcanglojornallogo UTFPRlogo001