12ª Conferencia Latino-americana de Software Livre
Data e Local do Evento
14 a 16 de outubro de 2015 - Parque Tecnológico Itaipu - Foz do Iguaçu | Paraná | Brasil

Porn Revenge e privacidade na web são temas discutidos na 12ª Latinoware

  • latinoware_team

pornrevenge

Com o avanço da tecnologia, e o acesso à comunicação móvel, as relações humanas têm se tornado cada vez mais interativas. Toda essa praticidade – que deveria trazer incontáveis benefícios à sociedade, como a facilidade de comunicação, o acesso e compartilhamento de informações e a captura de imagens – tem tornado os usuários cada vez mais vulneráveis à exposição da privacidade. Sem os cuidados necessários, a internet pode apresentar sérios riscos à segurança do internauta.

Neste cenário, a instrutora de cursos em Segurança da Informação do Centro de Treinamento Global Security, Gracielle Gomes, apresentou, na 12ª edição da Latinoware, uma palestra sobre Porn Revenge, ou pornografia de vingança, em tradução livre.

A pornografia de vingança é um tema de relevância mundial em casos de exposição da privacidade, principalmente relacionada aos adolescentes. Trata-se de uma expressão que caracteriza o ato de compartilhar, em dispositivos eletrônicos e na internet, fotos e/ou vídeos íntimos de ex-parceiros sem o consentimento deles. Geralmente, esse tipo de material contém cenas de nudez total, parcial ou, ainda, de sexo explícito, que, mesmo quando gravadas de forma consentida, não tinham a intenção de divulgá-las publicamente. Esse comportamento social se dá como forma de vingança, geralmente motivada pelo fim de um relacionamento.

No Brasil, o número de vítimas de vazamento de fotos ou vídeos íntimos divulgados sem consentimento quadruplicou nos últimos dois anos. No ano passado, 224 internautas procuraram o serviço de ajuda da SaferNet, organização de defesa de direitos humanos na web, para denunciar esse tipo de crime cibernético. Em 2012, 48 casos haviam sido registrados pela entidade. O vazamento de imagens íntimas atinge principalmente mulheres, que representam 81% dos casos denunciados. A cada quatro vítimas, uma delas é menor de idade.

Gracielle Gomes explicou que o porn revenge só é possível graças à prática do Sexting – contração de sex (sexo) e texting (textos) – ação que consiste no envio de conteúdos eróticos e sensuais através da internet para o parceiro (a). “Hoje em dia, os adolescentes vivenciam uma época de banalização da nudez, de erotização precoce e até mesmo uma falsa sensação de segurança que as redes sociais apresentam”, explicou.

Aos praticantes do sexting, a especialista alerta que é preciso precaução, pois uma vez que a imagem é enviada, o usuário perde o controle sobre o conteúdo, que pode ser replicado e alcançar proporções inimagináveis.

Caso a pessoa seja vítima de porn revenge, a primeira instrução é manter a calma e alertar os familiares. Em seguida, a recomendação é a captar provas – Print Screen (captura de tela) de todas as plataformas onde a imagem foi replicada – e guardá-las em uma mídia segura, como um CD, por exemplo. Além disso, é necessário salvar o endereço (URL completa) do site e/ou rede social que está publicando o conteúdo. Após essas etapas, é preciso procurar um cartório para a emissão de uma ata notorial, documento imprescindível para a elaboração de um boletim de ocorrência.

Os comentários estão desativados.

Apoio

logo_ifpr_foz2Protejaseusfilhosnic.cgiCoaltiudcanglojornallogo UTFPRlogo001